quarta-feira, 12 de novembro de 2008

O prazer de conhecer alguém

Em finais dos anos 80, saindo eu da minha infância e caminhando para a puberdade, quando conhecia alguém trocávamos o número do telefone de casa (quem tivesse telefone em casa) ou a morada para futura correspondência, combinavam-se umas saídas ao cinema, e esse conhecimento ia-se aprofundando com o tempo, tornando-se mais ou menos interessante e vincado.

Lá para o meio da década de 90 quando conhecia alguém trocava o número do telefone de casa, o número do pager ou do telemóvel (quem tivesse telemóvel... o 0936 J), a morada (só para cumprir o protocolo) e, em raras excepções, o nick name usado no mIrc e combinavam-se umas saídas ao café... o conhecimento mútuo desenvolvia-se de uma forma mais rápida e menos concisa.

Ano 2000... a loucura! Quando se conhece alguém trocam-se os números de telemóvel de todas as redes que se possuí, o e-mail, o contacto do MSN, o hi5, e combinam-se uns encontros no Messenger ou uma ida a um local onde se privilegie o “ruído” em detrimento de uma boa conversa, conhecimento mútuo já não precisa de ser aprofundado, basta consultar o perfil de utilizador e manter amizades para toda a vida só mesmo se estiverem na área de “Melhores Amigos” do hi5...

Como será daqui a 10 anos? É por estas e por outras que cada vez mais tenho menos tesão em conhecer novas personagens...

P.S.: não estou a criticar a actualidade, adoro-a, tenho é saudades de algumas das velhas formas de interagir.
P.S1: quando estava prestes a publicar isto pensei: "Pareço um cota a falar!" e depois recordei-me que já não tenho a pedalada de outros tempos, secalhar é por isso que me dá para isto... É a inveja... só inveja dessa malta que consegue andar aos saltos até ás 6 da manhã.
P.S2: eu tbém consigo andar aos saltos até ás 6 da manhã se tiver uma boa quantidade de sangue no álcool... depois vou estar é uma semana sem me poder mexer...

5 comentários:

sLaY3r disse...

Cota?

onde?

Apoio algumas linhas do teu pensamento.

Abraço.

Rés-do-Chão Esquerdo disse...

Ó mê filho Slay3r, bem aparecido sejas na "casa" do pai!! Obrigado por deixares aqui a tua marca. Ahh e obrigado pela sms que mandaste no outro dia, até me veio uma lágrima ao canto do olho :P

Claudia Diogo disse...

Mais nova sou eu e tb acho os novos métodos de socialização estranhos. Já nem quero falar desses "bares" onde já nem se consegue conversar.
É por essas e outras q cada vez é melhor ficar em casa né casalinho?!

PS - Por falar em ficar em casa, querem vir até á minha no fim de semana? Sessão com minis, filmes ou pictionary..enfim, coisas de "cotas" :P

Rés-do-Chão Esquerdo disse...

É mesmo Cláudia! Ás vezes estou em bares e só me apetece bater com os calcanhares e gritar "There's no place like home!". Sou mesmo uma Dorothy :P

Quanto à ida a tua casa temos que combinar isso para um dia destes.

Beijinhos.

Joao disse...

concordo com a Claudia! já não existem conversa de café como no tempo de Bocage e Pessoa...conversas onde nós ficamos inteligentes...agora com a treta do hi5 e não sei quê só se aprende é a ficar burro!!!
os bares só existem para se engatarem miudas ou miudos...enfim...é o que eu acho...
ah eu tb prefero ir a casa de amigos e jogar pictionary, monopolio, scrabble, etc
é mais util para a sociedade...como dizem os contemporâneos...as pessoas deviam "mazé" de ir trabalhar, ó! fazer alguma coisa de util para a sociedade, ó!
tenho 1 ideia...vou abrir um clube de conversas intelectuais lá na minha escola...
abraços
PS: tou para aqui a falar mas se não fosse a net não vos tinha conhecido...mas isso é outra história...
Abraços e Muitos Bejinhos