quarta-feira, 18 de junho de 2008

Conversa poética entre dois tugas

Porra! A vida tá lixada!
Estamos hoje a dia treze
Não há tostão p’ra nada
Não ganho salário que se preze!
Queixas-te tu desse mal ,
Olha p’ra mim desempregado!
Tinha um emprego ministerial
Vê como estou! Que triste fado…
Dizes-te desempregado, miserável
E eu?! Que estou adoentado,
Acho que é doença incurável
Nem o médico sabe o resultado!
Mas esqueçamos esta tristeza,
Vamos ali à tasca do lado
Bebemos um copito com ligeireza
Anda embora daí que eu pago!

2 comentários:

carapinha disse...

aqui esta a verdadeira identidade do verdadeiro tuga, mesmo desempregado, sem dinheiro ou a ganhar mal ha sempre uns tostoes para ir po tasco emborcar uns canecos mesmo q depois n tenha nada pa comer em casa.
a esta gente é q se pode chamar "TUGA"

O casal do Rés-do-Chão Esquerdo disse...

Vivemos num País muito inspirador onde a desgraça é a musa. Estou a pensar seriamente em exportar os meus poemas para os países onde tudo corre bem para ver se os deprimo um pouco e equilibro a balança mundial :P